Destinos

Conheça 5 parques nacionais da região Sudeste

Os parques nacionais da região Sudeste reservam as melhores aventuras em ecoturismo, além de belezas radiantes em um cenário em tons verdes. Essa região é composta por 4 estados, são eles: Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.

Esses territórios guardam um belo ambiente, com o poder de agradar diferentes visitantes, já que os parques possuem locais para dar uma caminhada tranquila, até grandes trilhas e cachoeiras.

Pensando na diversidade e riquezas naturais dessa região, destacamos 5 parques nacionais do Sudeste brasileiro para você conhecer e desfrutar assim que tiver oportunidade.

Parque Nacional da Tijuca, Rio de JaneiroParque Nacional da Tijuca

O Parque Nacional da Tijuca faz parte do complexo de bosques nacionais da região Sudeste. Essa é a maior floresta replantada do mundo.

A Tijuca é um parque urbano com trilhas, alguns pontos de observação de aves e mirantes com vista para cenários lindos da cidade do Rio de Janeiro.

O visitante do parque pode visitar para apenas contemplar o local, e fazer um piquenique, ou um churrasco com os amigos e familiares. Além de ter espaço para as crianças nos brinquedos instalados no entorno do parque.

O turista também tem a oportunidade de realizar montanhismo, trilhas, caminhadas e, para os mais radicais, pode realizar voo de asa delta ou escaladas.

O parque possui trilhas que levam o visitante para diversos pontos turísticos do Rio de Janeiro, como, por exemplo: Cristo Redentor, O Mirante Dona Marta, Vista Chinesa, entre outros locais conhecidos.

A Floresta da Tijuca pode ser acesso pelas zonas norte, sul e oeste do Rio de Janeiro. Este é o parque nacional mais visitado do Brasil, recebendo mais de 3 milhões de visitantes por ano.

A melhor parte do passeio no parque é o contato com a natureza, nos mais de 4 mil hectares de área preservada e o cheiro dos eucaliptos plantados no território.

Na entrada da Floresta da Tijuca, o turista irá se deparar com a Cascatinha Taunay, cenário das linhas telas do artista francês Nicolas Antoine Taunay, vindo a convite de Dom João VI em 1816 para realizar uma missão artística no Brasil. E na década de 40 o local foi utilizado para a exploração do café.

Além disso, dentro do Parque da Tijuca existe a Capela Mayrink, construída em 1855 pelo Visconde Antônio Alves Souto, proprietário da Fazenda Boa Vista. Dentro da edificação existem diversas obras originais do artista Cândido Portinari.

Parque Nacional Serra da Canastra

O Parque Nacional da Serra da Canastra é um lugar único e especial. Entre os morros florestados do litoral e os chapadões do Brasil Central, no meio do Cerrado, vivem animais de espécies típicas da Mata Atlântica.

Esse é um lugar com paisagens monumentais, localizado na divisa dos estados de São Paulo e Minas Gerais. A Serra da Canastra fica em um planalto, na famosa nascente do Rio São Francisco, que segue o seu caminho pelo chapadão.

Após a criação do Parque, em 1972, a serra virou um dos símbolos de natureza do país. A vegetação da Serra da Canastra é diversa, de grande beleza, e nas árvores é possível avistar os lindos sabias que passam os dias observando o cenário.

A Serra da Canastra protege uma área de quase 200 mil hectares, com vales e chapadões de tirar o fôlego. Este é um território cercado por diversas espécies de plantas, sendo muito importante para a conservação de serviços ambientais essenciais, como, por exemplo, a água.

As chuvas caem na Serra durante 6 meses, tempo suficiente para realimentar rios e aquíferos. As chapadas e o cerrado são como uma enorme captação de água, e é popularmente conhecida como a caixa de água do Brasil.

O parque fica no divisor de águas de 2 das 8 bacias hidrográficas do Brasil, sendo a bacia do rio São Francisco e a bacia do rio Paraná. Além disso, o local é abrigo para mais de 1000 nascentes, rios, córregos e ribeirões.

Macaco-prego no telhado do centro de visitantes, na parte baixa do Parque Nacional do Itatiaia, Rio de Janeiro.Parque Nacional do Itatiaia

O Parque Nacional do Itatiaia fica localizado no estado do Rio de Janeiro, e é o primeiro do Brasil.

O local foi criado por meio de um decreto do Presidente da época, Getúlio Vargas, em 14 de junho de 1937. No entanto, antes disto já havia a intenção da transformação do território em uma unidade de preservação.

O primeiro atrativo do parque fica a 1 quilômetro da entrada, e é o Mirante do Último Adeus, com vista para o Vale do Rio Campo Belo e para a Serra do Mar.

As terras que fazem parte do parque eram de propriedade do Visconde de Mauá. No final do século XIX, alguns botânicos e engenheiros haviam proposto a criação de áreas naturais protegidas no Brasil.

Em 1908 o governo decidiu comprar o local para a criação de núcleos coloniais para imigrantes europeus. No entanto, essa ideia não deu muito certo, e, em 1929, foi criada uma estação biológica subordinada ao Jardim Botânico do Rio de Janeiro, e após 8 anos foi criado o parque.

A altitude do parque varia entre 600 metros na parte baixa até 2.191 metros nas partes mais altas, onde fica o pico das Agulhas Negras. E esse é o ponto mais alto do parque, e o quinto mais alto do Brasil.

Na parte alta ficam os atrativos mais famosos de Itatiaia, com trilhas de nível moderado a difícil. Alguns dos roteiros chegam a levar cerca de 3 dias para serem totalmente explorados.

Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

O Parque Nacional Cavernas do Peruaçu foi criado no ano de 1999, e aberto ao público em 2014. Esse é um dos parques mais novos e menos explorados do país. O território está em puro crescimento, portanto, existe a possibilidade de abertura de novas trilhas na região.

A Cavernas do Peruaçu abrange 3 cidades, são eles: Januária, Itacarambi e São João das Missões, na região norte de Minas Gerais.

O Parque oferece diversas opções aos visitantes e está em constante evolução, no entanto, para realizar passeios é obrigatório a companhia de um guia turístico.

Um dos locais mais explorados é a Lapa do Índio, próximo ao centro dos visitantes. Outro lugar muito bacana é o Sítio da Lapa do Boquete com pinturas rupestres. A Lapa Bonita é outro ambiente visitado, onde fica uma caverna que pode ser explorada.

Se você é o tipo de viajante que ama trilha, o Parque Cavernas do Peruaçu é o lugar certo para você conhecer.

Parque Nacional da Serra do Gandarela

Parque Nacional da Serra do Gandarela National, Ouro Preto, Minas Gerais.

O Parque Nacional da Serra do Gandarela possui mais de 31 mil hectares, cerca de 31 campos de futebol. Esse é um dos parques nacionais mais novos de Minas Gerais, criado no ano de 2014 por meio de um decreto presidencial após a mobilização da sociedade.

Este é o parque mais próximo da capital mineira, a apenas 40 quilômetros de Belo Horizonte. Os limites da Serra abrange 8 municípios, são eles: Caeté, Itabirito, Mariana, Nova Lima, Ouro Preto, Raposos, Rio Acima e Santa Barbará.

O nome Gandarela significa terreno arenoso, que é uma das características físicas do local. O território possui uma formação geomorfológica chamada cangas, ou seja, um compensado com vários tipos de materiais de minério que permeiam e permitem a descida de água, sendo poroso.

Na Serra do Gandarela, atuam 2 biomas diferentes, mas que se integram de forma harmoniosa, com a Mata Atlântica e o cerrado, além de campos rupestres.

Dentro do parque se encontra a segunda maior área da Mata Atlântica totalmente preservada. Esse é um lugar de tirar o fôlego.

Gostou do conteúdo?
Acesse o nosso blog e confira mais destinos brasileiros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo